Os segredos do reflorestamento

O reflorestamento é essencial nos casos em que áreas de floresta desmatadas não conseguem se regenerar naturalmente. Mas por que exatamente reflorestar? Os interesses vão desde objetivos comerciais (extração de madeira) quanto a naturais ( redução do aquecimento global, manutenção da biodiversidade e prevenção de deslizamentos de terra). Você já deve saber sobre a importância das florestas, mas nesse texto vamos dar ênfase aos tipos de reflorestamento e como devem ser planejados e executados.

Principais causas do desmatamento

São devido a implantação de: hidrelétricas, rodovias,  pecuária, mineração, agricultura intensiva e exploração de madeira.

Reflorestamento economico

Empresas de fabricação de papel e produção de carvão vegetal, por exemplo, plantam eucaliptos em locais que serviam para pastagem anteriormente (ao invés de derrubar mata nativa) e após o corte, plantam novamente, realizando o reflorestamento. A princípio a idéia parece ser sustentável, mas mais adiante você vai ver que o cultivo de eucaliptos e outras espécies possuem impactos ambientais.

Reflorestamento ecológico

Além de interesses comerciais, o reflorestamento também pode ser feito para a recuperação de áreas degradadas, recomposição da biodiversidade, ecossistemas e até mesmo para absorção do CO2 – e consequentemente ajudar a reduzir o aquecimento global. Para isso são comumente plantadas espécies que já haviam no local antes do desmatamento.

O que plantar?

Devido a imensa biodiversidade brasileira, existem muitas espécies que podem ser usadas para este fim.

Além disso, o ideal costuma ser plantar as mesmas espécies que haviam antes de serem desmatadas, pois já estão adaptadas ao clima e tem forte potencial para reequilibrar a biodiversidade local. E também, no reflorestamento, é interessante plantar espécies de rápido crescimento para uma rápida cobertura na área a ser recuperada.

70% do reflorestamento é feita com eucaliptos. A espécie demora 7 anos para ser colhida (o que é relativamente pouco) e sua madeira pode ser usada para muitos fins (produção de papel e na construção civil por exemplo). Além disso não há muitas exigências no seu cultivo, pois se desenvolve em qualquer tipo de solo e de condições climáticas. Alguns pontos negativos são: não produzem alimentos e, logo, em áreas muito densas de eucaliptos isso acaba afastando animais e populações indígenas e há uma grande consumo de água para o seu desenvolvimento, podendo esgotar lençóis freáticos.

Outra espécie muito comum no reflorestamento é o mogno. Ele fornece madeira de alta qualidade (que é comumente usada para fabricação de móveis de luxo), e assim como o eucalipto, é de retorno rápido comparado a outras espécies, 10 a 15 anos. Outros pontos positivos são a sua beleza e o fato de ser mais resistente a pragas do que o eucalipto.

Eucaliptos sendo cortados

No Brasil

Boa parte da madeira Brasileira é exportada e os principais destinos nos últimos 15 anos foram Estados Unidos e China. Outra coisa interessante é que o setor emprega 610 mil pessoas no Brasil!

” O Brasil é promissor. Temos uma ótima taxa de crescimento de florestas e uma ampla demanda por reflorestamento” comenta o especialista Miguel Calmon.

Barreiras

Algumas espécies recomendadas para reflorestamento nem sempre são encontradas disponíveis no mercado em larga escala, pois são poucas instituições focadas neste segmento de mercado e algumas espécies são difíceis de ser produzidas mudas através das sementes. Outro fator que conta muito é o alto custo inicial para o reflorestamento, pois deve-se adquirir mudas, como já foi dito, além de controlar pragas e realizar outros tratos culturais. Isso ocorre principalmente nos primeiros anos de plantio.

Florestamento x Reflorestamento

Ambos conceitos são importantes. Florestamento é o plantio em áreas aonde não havia vegetação, enquanto que reflorestamento é o plantio em áreas que ja havia vegetação, mas que se tornou escassa por ser utilizada para outros fins pelos humanos ou então por processos naturais de degradação da natureza.

Reflorestamento natural

Para ajudar os humanos nessa missão, a própria natureza dá uma ajudinha por meio de um reequilíbrio natural. Um bom exemplo são os pássaros, morcegos e abelhas que realizam a dispersão de sementes e consequentemente o nascimento de novas árvores. É um processo lento e que pode inclusive ser induzido pelos humanos por meio da plantação de espécies frutíferas e de floração atraente.

Fontes:

www.ibflorestas.org.br/conteudo/quais-os-beneficios-do-reflorestamento

institutoagro.com.br/reflorestamento/

mercadoflorestal.com.br/artigos/voce-sabe-o-que-e-reflorestamento-conheca-todos-os-termos

potencialflorestal.com.br/conheca-mais-sobre-reflorestamento-comercial/

wwf.org.br/natureza_brasileira/especiais/biodiversidade/especie_do_mes/julho_mogno.cfm

Matheus Chiabi
Autor:
Matheus Chiabi
Sobre:
Matheus Chiabi, 27 anos, formado em publicidade. Gosta de escrever, fotografia e seus hobbies são surf, futebol e cerveja.
Mais artigos de: Matheus Chiabi

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*