A interessante reciclagem do Isopor

Apesar de algumas dificuldades na logística de reciclagem, o isopor pode ser transformado em objetos muito úteis, e substituindo a madeira, por exemplo. Saiba um pouco sobre sua composição, efeitos e maneiras de reciclagem.

O que de fato é o isopor?

Seu nome técnico é Poliestireno Expandido (EPS), e é considerado na verdade um tipo de plástico oriundo do petróleo. Uma de suas características principais é o fato de ser constituído 98% de ar! Ele está muito presente nas cidades por ter um ótimo custo-benefício.

Porque não é bem-vindo

Além de sua fonte não ser renovável, o isopor é um tipo de plástico que não se degrada na natureza, apenas é fragmentado em partículas menores, sendo a sua ingestão perigosa para aves e animais marinhos. Uma vez infectados, estes animais podem infectar também os humanos se forem consumidos.

No que pode ser transformado?

Reciclagem mecânica: é a mais comum. Transforma o isopor em matéria-prima que pode substituir a madeira, por exemplo, no caso de moldura para quadros, rodapés, e brinquedos. De quebra este processo reduz o desmatamento ( a cada 300 toneladas de isopor reciclados por mês evita-se a perda de 5 mil árvores)! Ah e também podem ser produzidos cabides, canetas e capa de CD’s também. Na construção civil pode ser até transformado em insumo para concreto leve, revestimentos e paredes.

O primeiro passo para a sua reciclagem é a  retirada do ar  interior ao isopor com uma máquina compactadora, gerando uma espécie de massa bem densa (parecido com um pão).

Essa massa é triturada, depois aquecida, e finalmente se tem o material final pronto para ser transformados nos objetos acima descritos.

Reciclagem energética: o isopor possui um alto valor calorífico, podendo gerar energia. Quando queimado em usinas térmicas, emite vapor d’água e gás carbônico, sendo pouco nocivo neste aspecto.

Reciclagem química: transforma o isopor em colas, solventes, gases e óleos.

Por que é difícil reciclar? 

O problema está no transporte. Muitas empresas e catadores não se disponibilizam para coletar resíduos de isopor por ser muito leve e ocupar muito espaço. Ou seja, para transportar uma grande quantidade de isopor, por exemplo, encher um caminhão, é produzida muita pouca matéria-prima no final do processo, inviabilizando a reciclagem.

E adquirir uma máquina, por exemplo a que retira o ar do isopor, também pode ser caro, custando em média 70 mil reais.

Vá até cooperativas/pontos de coleta!

Mas você pode ir até ás cooperativas! Você pode procurar empresas que prestam estes serviços próximo a sua região ( no Brasil existem aproximadamente 1.200 pontos de coleta de isopor) … Não se esqueça de retirar adesivos, colas e limpar o isopor antes de destiná-lo a reciclagem!

ECycle – encontre os pontos de reciclagem mais perto de você no Brasil inteiro

Knauf – São Paulo e outras localidades

Termotécnica – Regiões Sul e Sudeste (deslize até a base da página).

Teiares – sistema de coleta de vários tipos de resíduo, inclusive isopor, no Rio de Janeiro

Ou então, se quiser descartá-los nas lixeiras de coleta seletiva a lixeira certa é a vermelha (dos plásticos).

Substituindo o isopor

Quando você for pedir o almoço para viagem, leve sempre um pote retrátil (sim, existem potes retráteis iguais aos copos retráteis). Caso você não tenha um, pode optar pelo convencional pote de vidro.

Pote retrátil é uma ótima solução!

Tão simples quanto isto… Use as caixas de isopor para a sua horta em casa!

Conhece outras maneiras de reciclar e reutilizar o isopor? Deixe o seu comentário!

Matheus Chiabi
Autor:
Matheus Chiabi
Sobre:
Matheus Chiabi, 27 anos, formado em publicidade. Gosta de escrever, fotografia e seus hobbies são surf, futebol e cerveja.
Mais artigos de: Matheus Chiabi

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*