Terra Preta de Índio: um tesouro escondido na Amazônia

Apesar da grande biodiversidade existente na Amazônia, o solo dela não é propício para a agricultura (pois possui baixa fertilidade e é ácido). Porém, estima-se que uma pequena parte do solo amazônico seja de Terra Preta, um tipo de solo altamente fértil originado principalmente pelo acúmulo de resíduos orgânicos e uso de fogo na sua carbonização, resultado da ação de antigos povos humanos indígenas.

Acima da Terra Preta

O que sustenta a mata nativa da Amazônia é a chamada serra pilheira, que nada mais é do que uma fina camada de solo superficial composta de galhos, folhas, animais mortos que fornecem matéria orgânica. Devido a alta temperatura e umidade na região os nutrientes e matéria orgânica armazenados no solo possuem vida muito curta.

Tesouro logo abaixo

Por outro lado, um pouco abaixo desse solo temos a Terra Preta! Além de possuir uma coloração escura (ao contrário do amarelo do solo encontrado normalmente na região amazônica) ele pode ser encontrado em uma profundidade que vai de 30cm a 1m de profundidade. Ele é rico em nutrientes como: cálcio, magnésio, zinco, carbono e fósforo. Cada substância tem o seu papel, no caso do carbono, por exemplo, o que temos é estabillização da matéria orgânica, aumento da capacidade de trocas catiônicas e resistência a degradação biológica. Tudo isso faz com que a TPI seja um dos solos mais férteis do mundo!

Existem produtores plantando mamão, por exemplo, nestas regiões e os resultados são muito interessantes. Além de cada pé gerar boa quantidades de frutas logo cedo (após 5 meses), muitos cuidados em outros tipos de solo não são extremamente necessários em TPI: adubo, irrigação e pragas.

Outra característica desse solo é a resiliência, isto é, ele mantém suas características mesmo após ser usado.

Hipóteses sobre sua origem

Povos pré-colombianos que viveram na Amazônia ha milhares de anos carbonizavam  a maioria dos seus resíduos, como ossos de animais, espinhos de peixes, carapaças de tartarugas (jogando nas fogueiras). Além disso, a decomposição de artefatos de cerâmicas usados pelos indígenas também funcionam retendo água no solo e servindo de prova que eles existiram na localidade ha milhares de anos. Toda a deposição desses materiais, somados ao fato de que esses povos eram nômades e praticavam estes hábitos por onde passavam, fizeram com que este solo se tornasse muito fértil e ocorrendo em vários pontos diferentes.

Mitigando o aquecimento global

A Terra Preta, pelo fato de ser consituída de carvão dentre outros materiais, consegue reter 50% do carbono e entre três e seis vezes mais do que outros tipos de solo.

Legislação e futuro

É importante lembrar que a exploração, comercialização e transporte da Terra Preta de Índio não é permitida pela legislação brasileira, que argumenta ser um patrimônio arqueológico a ser preservado. Ainda sobre sua preservação, muitos apontam a agricultura mecanizada como uma ameaça a conservação, mas quando usadas de maneiras tradicionais, principalmente por povos nativos, tem consequências positivas.

Por fim, cabe a entidades maiores estudos e pesquisas sobre a TPI assim também como mais medidas para protegê-la e seu ecossistema ao redor.

Matheus Chiabi
Autor:
Matheus Chiabi
Sobre:
Matheus Chiabi, 27 anos, formado em publicidade. Gosta de escrever, fotografia e seus hobbies são surf, futebol e cerveja.
Mais artigos de: Matheus Chiabi

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*