Por que jogar fora se você pode compostar?

De acordo com a FAO (agência das Nações Unidas preocupada em erradicar a fome), 54% do desperdício de alimentos no mundo ocorre na fase inicial da produção, que é composta pela manipulação pós-colheita e pela armazenagem. Os outros 46% do desperdício, de acordo com a mesma fonte, ocorrem nas etapas de processamento, distribuição e consumo. Além disso, a FAO adverte que a perda custa quase um bilhão de dólares a cada ano. Também é equivalente a 8% das emissões de gases de efeito estufa, com mais de 40 mil toneladas de alimentos que vão para o lixo todo dia. Segundo a ONG Banco de Alimentos (organização que busca combater a fome e o desperdício de alimentos), cada brasileiro desperdiça mais de meio quilo de alimento por dia.

As causas para tamanho desperdício são muitas. Muitos produtos, como frutas e vegetais, estragam antes de saírem das prateleiras. Muitos consumidores compram produtos que estragam antes de irem para a mesa e uma parte considerável do que chega até ela não é consumido. Existem também os problemas durante o transporte. Longas distâncias e embalagens impróprias (ou até mesmo a ausência de embalagens) são fatores impactantes.

De acordo com um resumo preliminar do relatório do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas), entre 25 e 30% dos alimentos produzidos anualmente para consumo humano – ou seja, cerca de 1,3 bilhão de toneladas – são perdidos ou desperdiçados. Um número que aumentou 40% desde 1970 e representa 200 calorias por dia por indivíduo.


Foto: Ciclo Orgânico

Pensando nisso, você já parou para refletir sobre o seu modo de consumo, se há um índice alto de desperdício de alimentos em casa e até mesmo na casa das pessoas que você conhece? É muita coisa!!! Alimentos que poderiam ser reaproveitados, compostados e ressignificados (podemos dar um novo sentido a algo já existente, como o reaproveitamento das cascas de bananas, por exemplo).

Práticas como a de consumir conscientemente o que está comprando, saber do ciclo de vida do produto, se há logística reversa (é reciclável? quanto tempo estará na natureza até se degradar? qual o tipo de material usado na fabricação?) dentre outras atitudes, já ajudam a refletir sobre o assunto.

Outra dica é, sempre que possível, optar por alimentos produzidos localmente, uma vez que estes não sofrem (ou sofrem menos) as perdas do transporte e da degradação. As feirinhas orgânicas (ou não) de bairro são ótimas opções pra isso! 🙂

Outra forma de evitar desperdício é optar por consumir Pancs (Plantas alimentícias não-convencionais) , pois essas são uma alternativa sustentável e muitas vezes nascem naturalmente em casa ou nas proximidades, podendo ser colhidas na hora do uso, ou pouco tempo antes, evitando também perdas de transporte a longa distância e degradação pelo armazenamento.

E por fim, como citei anteriormente, uma ótima alternativa aliada ao combate do desperdício e geração de resíduos, é compostar seus resíduos orgânicos. Assim, em vez de virar “lixo” (algo que não tem jei e ocupar espaço em aterros e lixões, ele vira um super adubo orgânico e servirá para fortalecer as suas plantinhas, inclusive, se quiser, você pode doar pra um amigo ou horta comunitária ou até mesmo começar a sua horta caseira!

Juntos por uma comunidade com menos desperdício e mais compostagem! Me conta o que você tem feito para reduzir o desperdício em casa nos comentários! =) #FecheOCiclo

Avatar
Autor:
Thamyris Soliva
Sobre:
Thamyris Soliva, 26 anos, carioca, apaixonada pela natureza e animais! Publicitária, esposa do Lucas e mais um braço do Ciclo Orgânico desde 2015.
Mais artigos de: Thamyris Soliva

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Assine a nossa newsletter

Cadastre-se para receber mais informações e ficar por dentro de todas as nossas novidades!