A importância da coleta seletiva

 

O que é coleta seletiva? Trata-se um sistema que visa a separação correta de cada tipo de resíduos de acordo com suas características. Tudo o que não é rejeito é separado, facilitando assim, a reciclagem destes materiais.

Cada tipo de material possui um processo de reciclagem diferente. Por isso, se misturarmos os o lixo não reciclável com o reciclável e com os orgânicos isto pode dificultar ou inviabilizar a reciclagem dos mesmos. A coleta seletiva está aí justamente para fazer essa separação.

Esse sistema costuma ser implantado em residências, empresas e locais públicos.

O Brasil produz 228 mil toneladas de lixo por dia e é um dos maiores produtores do mundo. Desse total, metade é oriundo das nossas residências e por isso a coleta seletiva implantada nelas e nos condomínios têm um papel primordial na sustentabilidade do planeta.

Tendo em mente que muitos recursos naturais são finitos e escassos, dessa forma reduz-se a necessidade de produzir novos materiais a partir de matéria-prima virgem.

Além disso, há economia de água e energia. Para se ter uma idéia, a reciclagem de 1 tonelada de papel economiza 10 mil litros de água e evita que 17 árvores sejam cortadas.

A coleta seletiva é um dos pilares do consumo sustentável.

O que acontece quando o lixo não é separado para reciclagem?

Nas cidades, o lixo pode acabar entupindo bueiros ou então indo parar nos lixões, proliferando doenças e causando poluição; o vento e chuva podem levar os resíduos para mares e rios; pilhas e eletrônicos podem poluir o ar, solos e lençóis freáticos.

Geração de empregos e renda

Quanto mais a população adere a coleta seletiva, maior o faturamento das cooperativas.Para se ter uma ideia, só a reciclagem de plástico no Brasil emprega 20 mil pessoas em 300 empresas existentes.

Estima-se que 90% dos produtos que chegam às indústrias recicladoras passam pelas
mãos de catadores. Em contrapartida, apenas 10% deles são formalizados em cooperativas.

Papel

Um dos principais benefícios da reciclagem do papel é a diminuição do desmatamento, um dos principais causadores do aquecimento global, e a diminuição de monoculturas (eucalipto). Além do gasto de água e energia para fabricar papel novo, também são usados aditivos químicos para o seu branqueamento.

Você pode inclusive reciclar papel em casa, basta alguns objetos como liquidificador e uma moldura com tela de nylon. É bem simples, pode ser feito por crianças e existem vários tutoriais na Internet.

Metal

O alumínio é um dos materiais mais reciclados mundialmente, e o Brasil é um dos líderes no setor de reciclagem de latinhas de alumínio. Este material possui um alto valor de mercado e pode ser transformado em diversas finalidades, o que estimula os catadores de latinhas a darem preferência ao metal ao invés de outros produtos. Para se ter uma ideia, as cooperativas recebem R$4,00 por kg de alumínio, R$0,35 por kg de papel e R$1,20 por kg de plástico.

Vidro

A reciclagem de vidro gasta 70% menos energia e 20% menos matéria-prima do que a produção a partir de material virgem. O vidro pode ser reciclado diversas vezes sem perder as suas características e praticamente não há perdas durante o processo, ou seja, 1kg de vidro gera 1kg de vidro reciclado. A taxa de reciclagem anual no Brasil é de 45%.

Não se esqueça de limpar o vidro e embalar o material quebrado em folhas de jornal, sacos grossos ou caixas de papelão antes de destinar à reciclagem para não oferecer risco para quem for manusear o vidro.

Plástico

Existem 2 tipos de reciclagem de plástico.

Reciclagem mecânica: é um dos métodos mais utilizados e consiste na transformação do plástico em pequenos grânulos, por meio do processo de moagem, que servem para serem transformados em outros objetos.

Reciclagem química: reprocessa o plástico a nível molecular para transformá-lo em novos materiais.

Eletrônicos

O Brasil produz em média 1,5 milhões de toneladas de lixo eletrônico por ano. Pilhas e baterias possuem metais pesados como chumbo, níquel, mercúrio e cádmio. Quando descartados em lixões, poluem o solo e as águas. Não compre pilhas piratas, opte pelas marcas que possuem sistemas de logística reversa e políticas socioambientais. Já existem planejamentos políticos que preveem a disponibilização de pontos de entrega de eletrônicos em 400 municípios.

Orgânicos

Representam 50% do lixo produzido no país. Tratam-se de restos de frutas, verduras, legumes, raízes, folhas e outros materiais de origem biológica. Quando destinados aos aterros e lixões, emitem gases nocivos e poluem lençóis freáticos por meio da produção de chorume.

A solução é a compostagem, processo natural que consiste na degradação da matéria orgânica por meio de microrganismos, que transformam os restos de comida em adubo para ser usado em plantações e hortas.

Empresas de coleta seletiva

Em muitas cidades, as prefeituras municipais possuem iniciativas de coleta seletiva. No caso do Rio de Janeiro, a COMLURB é a responsável pela coleta de recicláveis.Os recicláveis coletados são destinados a 25 cooperativas. Mas também existem diversas empresas privadas no país que fazem o serviço de coleta baseado em um orçamento.

Em São Paulo, a empresa Muda oferece o serviço de coleta seletiva. Mas o projeto é mais do que fazer o diagnóstico e o fornecimento dos contentores: realizam palestras e treinamentos, relatório mensal de resíduos e certificado de destinação correta.

Outra iniciativa bem legal no Rio de Janeiro é a Teares. Esta empresa fornece sacos para descarte de vários tipos de resíduos e oferece a coleta domiciliar.

Ecopontos

– Estação de Reciclagem Pão de Açúcar (RJ) – Unilever

O supermercado Pão de Açúcar possui estações de reciclagem em algumas unidades. As pessoas podem levar diversos tipos de resíduos como vidros, papéis, metais, plásticos e óleo de cozinha usado. Todos os resíduos são destinados a cooperativas.

– Green Mining

Trata-se de um serviço de coleta de vidros usados em 2 unidades no Rio de Janeiro: Ipanema e Leblon

– Light Recicla

A Light, em troca de reciclados, oferece descontos na conta de luz . Basta levar até um dos pontos de coleta.

Como implantar nos condomínios?

Além de órgãos públicos, existem empresas privadas que realizam o serviço em condomínios e empresas.

Os custos de implementação não são altos e o resultado é satisfatório.

Além de definir o espaço onde os contentores ficarão, (que o ideal é não muito longe do fluxo de pessoas) e quais tipos de material serão coletados, é interessante que os moradores sejam conscientizados a respeito da importância da coleta seletiva, pois muitos não compreendem e não dão valor.

Dependendo do volume e frequência de resíduos gerados , deve ser estabelecido dias e horários em que a coleta é feita pela empresa contratada. Assim não é acumulado mais material do que o suportado.

Você é novo por aqui?

Seja bem-vindo ao nosso blog!

Somos uma empresa de coleta e compostagem de resíduos orgânicos em que transformamos lixo em fonte de vida!

Trabalhamos com um esquema de assinaturas em que o cliente recebe um baldinho para separar seus resíduos e passamos de bicicleta em sua casa para coletar. Uma vez por mês você ganha diversas recompensas como o nosso super composto orgânico produzido a partir dos resíduos!

Agradecimento: este texto foi escrito com o suporte

Referências

larplasticos.com.br/ultimas-noticias/quais-sao-os-beneficios-da-coleta-seletiva/

meuresiduo.com/categoria-1/importancia-da-coleta-seletiva/

todamateria.com.br/coleta-seletiva/

blog.contemar.com.br/o-que-e-coleta-seletiva/

ecycle.com.br/coleta-seletiva-em-condominios-como-implantar-projeto-programa/

blog.brkambiental.com.br/separacao-do-lixo/

infoescola.com/ecologia/coleta-seletiva/

reciclasampa.com.br/artigo/reciclagem-de-vidro:-aprenda-como-fazer

mundoeducacao.uol.com.br/quimica/reciclagem-papel.htm

/bhrecicla.com.br/blog/reciclagem-de-papel-tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-o-assunto/

greeneletron.org.br/blog/10-razoes-para-reciclar-o-lixo-eletronico/

teiares.com.br/post/cs-no-rio-de-janeiro

Matheus Chiabi
Autor:
Matheus Chiabi
Sobre:
Matheus Chiabi, 27 anos, formado em publicidade. Gosta de escrever, fotografia, futebol e cerveja.
Mais artigos de: Matheus Chiabi

1 Comment

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*