Bitucas de cigarro poluem mais do que você imagina

Você já deve ter ouvido falar dos malefícios do cigarro para a saúde, mas o que pode ser novidade é que o tabagismo possui impactos ambientais – apesar das bitucas serem pequenas, o estrago é enorme.

Os principais efeitos negativos do descarte inadequado de bitucas de cigarro são poluição de rios e córregos, entupimento de tubulações e bueiros, enchentes e incêndios.

Se a pessoa está tentando parar de fumar, saber dos impactos ambientais também é mais um motivador para alcançar o objetivo.

Impactos ambientais

De acordo com a NBC News, as bitucas de cigarro poluem mais os oceanos do que sacolas plásticas e canudos (um terço do lixo encontrado nos oceanos). Pelo tamanho pequeno, muitos animais confundem elas com presas e acabam ingerindo, se intoxicando e morrendo. Pesquisas constataram a presença de substâncias tóxicas que contém no cigarro em tartarugas e aves marinhas. Além de ser o principal tipo de lixo encontrado em praias, é provavelmente o lixo mais comum encontrado no planeta.

As bitucas de cigarro possuem 4,7 mil substâncias tóxicas. Dentre elas, metais pesados como cádmio e chumbo. Quando em contato com a água a poluição é grande. Além disso, os filtros possuem fibras sintéticas derivadas do petróleo que não são biodegradáveis.

O próprio hábito de fumar emite CO2! Uma pessoa que fuma 10 cigarros por dia derruba em média uma árvore por mês.

95% dos filtros de cigarro são compostos por acetato de celulose, material de difícil degradação que pode levar cerca de 15 anos para se decompor. Nos filtros também é possível encontrar microplásticos. Como forma de amenizar o problema da poluição, a empresa Indian Prasadam Industries produz filtros biodegradáveis. O Karma Filter é feito com material 100% orgânico, biodegradável e livre de química, segundo a empresa indiana. E os filtros têm sementes, que se tornam plantas quando descartadas. Se as pontas de cigarro forem jogadas num local que contenha terra, são grandes as chances de as sementes germinarem.

Os produtores que passam o dia manuseando folhas de tabaco consomem o equivalente a 50 cigarros por dia, o que é particularmente preocupante para as muitas crianças envolvidas no cultivo do tabaco. Imagine uma criança de 12 exposta a 50 cigarros por dia.

Plantio do tabaco

O cultivo também promove o desmatamento, já que para secar as folhas de tabaco é necessária a utilização de fornos a lenha. Os produtores de tabaco preferem terras virgens e práticas agrícolas insustentáveis, ou seja, as áreas desmatadas não têm tempo de se recuperar.

Calcula-se que 5% do desmatamento em países em desenvolvimento se dá pela indústria do tabaco. Em alguns países famosos por grandes produções de tabaco a quantidade de desmatamento chega a 30% do total. Também é muito comum haver uso de agrotóxicos nesse cultivo, sendo umas das dez safras que mais usam o insumo.

Reciclagem

As bitucas entram na categoria de lixo reciclável e já existem algumas tecnologias bem interessantes no setor. Existem diferentes processos de retirada de elementos químicos das bitucas para transformá-las em matéria-prima para indústrias siderúrgicas, cimenteira, de plástico, de papel, de adubo e até de fibras naturais.

Uma empresa paulista já transforma as bitucas em papel reciclado (25 bitucas geram uma folha de papel). São 750 mil filtros reciclados por mês. A empresa consegue retirar a toxicidade do produto por meio de uma solução aquosa fervida a 100 graus. Assim sendo é possível reciclar a parte de celulose do cigarro. São produzidos cadernos, encartes, convites e outros materiais sem o menor rastro de cheiro de tabaco.

Também já existem tecnologias que separam o papel do cigarro dos outros componentes, podendo assim, reciclar o papel.

Onde e como descartar?

Uma pesquisa feita pelo Mundo Sem Bitucas constatou que 60% dos fumantes descartam bitucas sem cuidado algum. Mesmo sendo recicláveis, as bitucas não devem ir para o lixo reciclável, pois possuem substâncias tóxicas que podem contaminar o entorno.

Se você for fumante, e estiver na rua, apague a bituca na parte de alumínio que tem nas lixeiras.

Tenha consigo um cinzeiro portátil. É pouco comum no Brasil, mas muito difundido em outros países. Além de jogar as cinzas nesse pequeno recipiente, as bitucas podem ficar armazenadas até a hora em que você encontra uma lata de lixo.

Procure por pontos coletores. Pesquise para encontrar na sua cidade iniciativas inteligentes como a Rede Papel Bituca e a Bituca Verde, que trabalham para criar um novo propósito para esses resíduos.

No Paraná já existe uma lei que multa quem descarta o produto inadequadamente. Fora do país, na Austrália, bitucas são transformadas em tijolos para a construção civil. Eles são fortes e leves.

Outra ideia legal é participar de mutirões de limpeza de praias, por exemplo.

Referências

conass.org.br/tabagismo-tambem-gera-danos-ao-meio-ambiente/

reciclasampa.com.br/artigo/bitucas-de-cigarro:-vilas-da-saude-e-do-meio-ambiente

ecoresponse.com.br/blog//noticia-interna/cigarro-meio-ambiente-250

ecycle.com.br/bituca/

exame.com/ciencia/oms-alerta-para-impacto-do-tabaco-no-meio-ambiente/

pensamentoverde.com.br/sustentabilidade/o-consumo-de-tabaco-e-seu-impacto-ambiental/

impactounesp.com.br/post/cigarro-e-bitucas-um-risco-à-saúde-e-ao-meio-ambiente

reciclasampa.com.br/artigo/com-descarte-correto-bitucas-podem-ser-recicladas

engenharia360.com/bitucas-de-cigarro-ideias-para-reciclagem/

Matheus Chiabi
Autor:
Matheus Chiabi
Sobre:
Matheus Chiabi, 28 anos, formado em publicidade. Gosta de escrever, fotografia, futebol e cerveja.
Mais artigos de: Matheus Chiabi

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*