Saiba porque vestir roupas de algodão orgânico

O impacto ambiental do algodão convencional

Mais da metade das peças de roupas no Brasil são de algodão. Apenas 2% de toda área destinada a agricultura pertence as plantações de algodão, porém os números são alarmantes: esta indústria consome 24% de todos os inseticidas e 11% dos pesticidas da agricultura!

Alto consumo de energia e água

Em comparação aos tecidos sintéticos, o algodão convencional consome mais energia por meio de tratores, máquinas agrícolas, máquinas de fiação, além dos processos de lavagem e secagem.

Esta cultura também é a terceira do mundo que mais consome água para irrigação (por isso é interessante buscar dados a respeito da quantidade de água utilizada na confecção das peças de roupa na hora de comprar). Uma camisa leva em média 2.700 litros de água para ser fabricada!

Sobre pesticidas

Muitas pessoas pensam que não há problema em utilizar pesticidas nas plantações de algodão, uma vez que não será alimento para nós. Porém, isto faz com que 250 mil agricultores adoeçam a cada ano no mundo, além de haver contaminação do solo e lençol freático.

Mesmo após o algodão ser tratado e virar tecido, este carrega substâncias nocivas. E não são apenas roupas, mas também toalhas e roupas de cama podem oferecer riscos.

Logo, algodão orgânico!

O algodão orgânico é benéfico ao meio ambiente por fatores como a utilização de adubos orgânicos, enquanto a qualidade do solo é garantida pela rotação de culturas.

O modelo da agricultura de algodão orgânico necessita mais mão de obra do que a de algodão convencional, portanto gera mais empregos.

Pelo fato de não usarem pesticidas nas plantações de algodão orgânico, isso significa que é necessário menos água. Portanto as fazendas de pequena escala tendem a usar água da chuva para regar as plantas.

Poluição

Além dos impactos diretos que a agricultura de algodão convencional é responsável, outra forma de poluição acontece quando você lava sua roupa em casa. Substâncias tóxicas são liberadas poluindo os mares, por exemplo. Já as roupas feitas de algodão orgânico não possuem essas substâncias, o que as tornam mais sustentáveis.

Sobre o algodão: protege a saúde da pele

Muitos tecidos sintéticos como poliéster costumam causar alergias em quem usa, principalmente em pessoas mais suscetíveis a irritações de pele. Quando a pessoa sua, isto pode fazer com que estas substâncias causem este problema. Em contrapartida, as roupas feitas de algodão causam menos alergias.

O cuidado deve ser ainda maior para as roupas dos bebês, que possuem a pele mais fina do que os adultos, sendo mais suscetíveis a irritações.

Um cuidado a se ter em mente é que inclusive as roupas de algodão podem causar alergia caso a roupa esteja empoeirada. Portanto, lave-as ou deixe-as secando ao sol depois que estiverem guardadas há muito tempo ou então após comprar uma peça nova.

Trabalhadores

Nas indústrias de algodão orgânico são os próprios trabalhadores que retiram as ervas daninhas com as mãos além de fazerem a colheita manualmente também (o que garante um algodão de melhor qualidade do que os colhidos por máquinas).

Esse tipo de atividade proporciona muita mão de obra e, consequentemente, empregos. Além disso, garante a saúde dos trabalhadores.

Reciclagem

Existem dois tipos de desperdício de algodão: as sobras e retalhos das roupas novas fabricadas pelas indústrias e as roupas descartadas pelas próprias pessoas.

Quanto às indústrias, elas possuem algumas soluções para este problema. Podem doar as sobras de tecidos para projetos de sustentabilidade, vender para a indústria automobilística para esta usar para fabricar estofamento de bancos ou então destinar à reciclagem.

Como já foi dito, o algodão também pode ser reciclado a partir de doações de roupas feitas pelas pessoas, porém a maior parte do algodão que é reciclado é oriundo das sobras das indústrias. Isto acontece porque é mais difícil reciclar roupas inteiras devido ao fato de possuírem botões e zíperes além de muitas peças terem também em sua composição poliéster e viscose, por exemplo.

Como resultado do processo de reciclagem, o algodão reciclado é de enorme utilidade para a fabricação de novas peças de roupas. Quando misturado ao algodão convencional ou orgânico, pode representar de 20 a 30% da composição do tecido. E caso seja misturado ao poliéster, pode representar 80% da composição.

Economicamente viável

A venda de algodão orgânico pode gerar o dobro de renda em comparação ao algodão convencional.

Pigmentos naturais são importantes também

De nada adianta o algodão ser orgânico e a tinta usada para tingir ser oriunda de metais pesados. O ideal é buscar pelos tingimentos a base de folhas, cascas de árvores e raízes.

Sementes modificadas geneticamente

90% de todo algodão do mundo é oriundo de sementes geneticamente modificadas. Já as sementes naturais fazem com que possam ser replantadas ou servir de ração para animais.

Industria da moda

É uma das indústrias que emitem mais gás carbônico, perdendo apenas para a indústria petrolífera. Só a fabricação do poliéster é responsável por 32 das 57 milhões de toneladas globais.

Exemplos

Patagônia – a marca de roupas para alpinismo e diversos esportes, mesmo tendo prejuízo no início das vendas de artigos sustentáveis decidiu em 1996 que iria comercializar apenas roupas de algodão orgânico, mesmo que tivesse um alto custo para produzir.

Renner – a marca brasileira possui o certificado BCI (Better Cotton Initiative) Trata-se de uma organização sem fins lucrativos que avalia e certifica o processo de produção do algodão baseando em requisitos como uso eficiente da água, saúde do solo e relações justas de trabalho.

Stella McCartney – a marca inglesa é famosa por usar couro ecológico e algodão 100% orgânico para o seu jeans. Em 2020 apresentou o primeiro jeans biodegradável do mundo.

Core Case – esta marca é brasileira e há 10 anos produz roupas feitas de materiais ecológicos. Alguns dos materiais usados são poliamida biodegradável, algodão orgânico e inclusive matéria-prima feita a partir de garrafas PET.

Brasil Eco Fashion Week

A indústria da moda é comumente vista como uma grande vilã ao meio ambiente devido aos impactos ambientais da fabricação de roupas de forma excessiva. Para mudar este cenário foi criada a Brasil Eco Fashion Week, um desfile de moda de roupas feitas de maneira sustentável.

O evento é realizado em São Paulo e conta com estudantes, empreendedores e consumidores. Trata-se de uma grande vitrine para as marcas divulgarem seus ideais e conquistar o público, que cada vez mais exige este tipo de comportamento das grandes empresas.

Além dos desfiles acontecem palestras e reflexões. Trata-se de um grande evento que reúne marcas que querem promover mudanças.

Em prol de mudanças

O consumo de algodão orgânico no mundo cresceu 10% em 2018, comparado a 2017. No Brasil, os produtores que deixaram de usar glifosato subiram de 232 para 308, de acordo com o Mercado de Algodão Orgânico (OCMR). É um crescimento significativo, mas ainda falta muito. O empolgante é que já existe um pacto das indústrias para fabricarem 100% roupas de forma sustentável até 2030.

Você é novo por aqui?

E aí, gostou do texto? Se você é uma pessoa que gosta e se preocupa com o meio ambiente, provavelmente vai gostar do serviço que nós oferecemos aqui no Ciclo Orgânico!

Olha só que legal: por meio de uma assinatura você recebe um baldinho para por na cozinha e depositar todos os seus resíduos orgânicos nele. Periodicamente nós passamos em sua residência de triciclo (para não poluir o ar, é claro!), coletamos seus resíduos e transformamos em adubo. Uma vez por mês você recebe sua recompensa: um saco de adubo fresquinho e sementinhas para plantar! Basta clicar aqui e escolher o seu plano! O serviço, por enquanto, é apenas na cidade do Rio de Janeiro.

Agradecimento

Este texto foi produzido com o suporte da empresa Justa Trama (@justa.trama / www.justatrama.com.br).

Referências

blog.mundomoulage.com.br/algodao-organico-conheca-as-suas-vantagens/

timirim.com.br/projeto/algodao-organico/

bio3consultoria.com.br/algodao-organico-vantagens/

antiqueechique.com.br/loja/noticia.php?loja=592166&id=3

ecofriendlycotton.com/2020/07/algodao-convencional-organico-e-bci-qual-a-diferenca/?lang=pt-br

autossustentavel.com/2017/12/o-que-etiqueta-nao-mostra-impactos-industria-moda.html

brasil.mongabay.com/2021/04/relatorio-analisa-impacto-socioambiental-das-principais-fibras-utilizadas-na-industria-da-moda/

pozinhomagico.com.br/alergia-a-tecido-como-reconhecer-materiais-de-algodao-e-sinteticos/

einvestidor.estadao.com.br/colunas/fernanda-camargo/impacto-ambiental-industria-moda

bonde.com.br/comportamento/familia/moda-sustentavel-e-tendencia-para-o-periodo-pos-pandemia-530276.html

textileindustry.ning.com/profiles/blogs/como-feito-o-algod-o-reciclado

Matheus Chiabi
Autor:
Matheus Chiabi
Sobre:
Matheus Chiabi, 28 anos, formado em publicidade. Gosta de escrever, fotografia, futebol e cerveja.
Mais artigos de: Matheus Chiabi

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*